Faça uma pesquisa

Validating credentials, please wait...

Home

A MULHER EMPREENDENDO NO CAMPO, ANA NERY CONTA COMO É FAZER PARTE DE UM MEIO TÃO COMPETITIVO

A MULHER EMPREENDENDO NO CAMPO, ANA NERY CONTA COMO É FAZER PARTE DE UM MEIO TÃO COMPETITIVO

Ana Nery Terra  Souza (52) casada com José Adolfo Lima Souza (53), fazem parte do Grupo Agua tirada que realiza hoje o ciclo completo da pecuária, com cria, recria e engorda. A engorda é realizada com gado crioulo a pasto terminando em confinamento e semi confinamento. A fazenda de cria está localizada na região de Porto Murtinho, em uma área de pastos formados e invernadas bem divididas. A engorda é feita na fazenda de Terenos, para onde vão as fêmeas, e na Água Tirada em Maracaju, para onde vão os machos.

Em entrevista para a Assema Ana Nery contou como é fazer parte de um meio tão competitivos e que até pouco tempo era dominado pelos homens. O avanço das  mulheres no setor do agronegócio quebrou tabus seculares e estabeleceu um novo paradigma na administração das coisas do campo. Pesquisas mostram que as mulheres que estão à frente dos negócios rurais compensam com criatividade a falta de conhecimento técnico na área, pois tendem a serem mais conectadas e comunicativas.

Em Maracaju mais de 50% das vendas de equipamentos, insumos, sementes e máquinas já são feitos por e para mulheres que trabalham no setor comercial ligado à área ou que estão à frente dos negócios agropecuários da família.

 

Assema – A força da mulher não tem barreiras, e agora está cada vez mais crescente a força da mulher no campo, conte-nos como é fazer parte de um setor que até pouco tempo atrás era dominado por homens?

 

Ana Nery – O meu posicionamento e entendimento é que sempre a mulher esteve junta só que hoje as demandas aumentaram muito mais, o serviço aumento e sempre a mulher esteve ali ajudando e assessorando os maridos a fazer o dever de casa. Hoje surge a necessidade dela se sobressair um pouco mais. Hoje a mulher é mais profissional, estuda, ela teve que ser despertada pela necessidade que foi surgindo. Tem dois lados que nós podemos olhar, para mim eu nunca tive muito como barreira porque eu sempre gostei de estar ao lado, então esta é uma posição minha de estar ao lado, quando você está ao lado há momentos que você lidera e há momentos que você é liderado. Esses tabus foram quebrando com o passar do tempo, mas acho que eles estavam mais em nós mulheres, quando conseguimos ver que somos capazes de fazer e acontecer fomos criando aquela coragem, mas Maracaju é uma terra muito mais aberta, aqui as mulheres têm mais força, elas sempre andaram ao lado e isso é muito bom, já acompanhei em outros lugares uma força muito dominadora dos homens sobre as mulheres, mas aqui em nossa cidade somos abençoadas por estarmos ao lado.

 

Assema – Maracaju já possui 50% de mulheres no comando de fazendas de pecuária e agricultura, a tendência ainda é aumentar, o que a mulher empreendedora tem que ter para estar neste meio e não ficar para trás?

 

Ana Nery – Ela tem que ser apaixonada pelo conhecimento fazer parte das classes sociais, sindicato é uma das coisas que precisamos fazer parte assim como a associação comercial, não podemos ficar fechadas dentro do nosso mundo e achar que este mundo é o ideal. As oportunidades de trabalho estão aí, as oportunidades de crescimento estão aí. A fundação MS é essencial para a participação de todas as mulheres que querem crescer neste meio, na área de educação nós temos que sempre estar nos aperfeiçoando, temos que ser participativas, isso abre as oportunidades e você sempre se atualizando. O essencial é não ter medo, sé você ver que é capaz e correr atrás do conhecimento. Ter humildade é um fator muito importante e a mulher tem um aprendizado nato que Deus realmente nos deu com muitas habilidades, ter uma sensibilidade muito maior, porque nós fomos feitas sensíveis para gerar filhos, então a sensibilidade de sentir o bebe sendo gestado, Deus trouxe esse habilidade para a mulher e ela tem que fazer disso uma benção na vida dela não como algo que prejudica, não ficar fechada com aquilo, hoje nós temos o núcleo de mulheres no sindicato, então toda segunda e terça-feira do mês nós temos reunião, espero que todos possam estar participando.

 

Assema – A senhora é uma grande incentivadora dos seus 90 funcionários se profissionalizarem cada vez mais, porque? Isso seria gasto ou investimento?

 

Ana Nery – Eu tenho certeza que é um grande investimento, quando nós investimos na vida do ser humano é porque nós acreditamos no ser humano, como eu professo a fé que Deus me deu, graças a Deus tenho um bom relacionamento com Deus e sei do potencial que Deus fez, então nós temos que investir nas pessoas, fazer elas entenderem esse potencial e dar para elas que elas podem desenvolver cada dia mais, estou acabando de fechar uma consultoria com um coaching para desenvolver as nossas lideranças. Eu fico muito feliz em vocês me falarem que sou grande incentivadora, porque as vezes a gente acha que não é, nós cremos no potencial dos nossos colaboradores, também recebo essa herança do meu sogro, ele sempre ajudou seus colaboradores, isso traz para nós essa cultura de nós investirmos.

 

Assema – Para a mulher que está entrando agora neste meio rural, qual é a sua mensagem para ela prosseguir?

 

O Sindicato Rural de Maracaju está pronto para recebe-la, temos nosso núcleo de mulheres que será um prazer ter essas mulheres fazendo parte. Já temos um grupo bom, gostoso de troca de experiências. Esse é o lugar ideal para essa nova empreendedora ir, todos nós somos eternos aprendizes. A mensagem que deixo para essas mulheres é que a mulher sabia edifica sua casa, essa é uma sabedoria que nós temos e essa é a mensagem que deixo para todas as mulheres