Faça uma pesquisa

Validating credentials, please wait...

Home

EMPREENDER SEM PERDER O JEITO “MÃE DE SER”

EMPREENDER SEM PERDER O JEITO “MÃE DE SER”

Para finalizar o nosso mês de março especial mulheres empreendedoras uma entrevista com a empresária e administradora da Drogaria Brasil, Luzia Milanezi, aos 48 anos, mães de duas filhas e com uma empresa que está há 12 anos no mercado, Luzia fala sobre comando, empreendedorismo e ser mulher.

Uma pesquisa realizada pelo instituto norte-americano GEDI mostrou que o número de mulheres empreendedoras que desejam crescer 50% e empregar, no mínimo, 10 funcionários nos próximos cinco anos cresceu 7% em uma escala global. Mas, para que esse sonho vire realidade, elas enfrentam barreiras sociais e econômicas, fazendo com que o caminho para o sucesso seja ainda mais desafiador.

Nos últimos anos, o número de mulheres que começaram a empreender cresceu muito, tanto no Brasil como em outros países. Atualmente, cerca de 30% de todos os negócios privados do mundo são operados ou têm como idealizador uma mulher.

Já em Maracaju o crescimento de empresas que estão sendo comandadas por mulheres está cada vez maior, no agronegócio, por exemplo, já temos mais de 50% das mulheres no comando de fazendas, no comercio local 30% estão a frente do negócio ou estão trabalhando lado a lado com o esposo.

Luzia é mais um belo exemplo de empreendedorismo feminino e mostra que com simplicidade se vai longe, a Drogaria Brasil está no mercado há 12 anos competindo com grandes empresas e em um mercado cada dia mais competitivo, tendo em vista que o mercado de farmácia cresceu mais de 50% em Maracaju nos últimos anos.

“Quando vejo uma farmácia abrir suas portas vejo que Maracaju está crescendo e se tem demanda tem lugar para todo mundo, competir faz bem para a gente, faz com que o empresário pense fora da caixinha e lute pelo seu lugar ao sol, eu não vejo com negatividade a competição no varejo, vejo como oportunidade de crescimento tanto pessoal como empresarial, ” relatou Luzia.

Quando perguntada sobre sua opinião das mulheres estarem também correndo atrás de tratamentos estéticos, rejuvenescedores e emagrecedores Luzia abriu um sorriso e disse “Quem nunca, isso mostra que a mulher corre atrás de tudo e o melhor que damos conta de tudo, cuidamos do trabalho, do lar, dos filhos e da gente sem deixar a ‘peteca’ cair. ”

 

“A maior empreendedora que eu vejo é a mãe, a fase mais difícil da minha vida foi conciliar trabalho e filhos, depois de conseguir conciliar, tudo ficou bem mais fácil, ai qualquer desafio a gente tira de letra, porque eu digo que mãe é a maior empreendedora que eu conheço, porque elas não se cansam de buscar sempre o melhor pro seu filho, pensam e repensam em possibilidades, estratégias e maneiras de criar melhor e é assim nos negócios também, o empreendedor deve sempre buscar mais conhecimentos, cursos, aprendizagens que a vida pode lhe proporcionar e levar tudo isso pra dentro do seu empreendimento.”

O conselho de Luzia reflete as experiências de quem já enfrentou o universo do empreendedorismo. Afinal, ter um negócio próprio está longe de significar trabalhar menos; é preciso muita dedicação e para conseguir tirar as ideias do papel e fazer acontecer. Tem que ter fôlego para ser bem-sucedido, e as mulheres mostram que têm de sobra.

 

Alguns dados com base no Sebrae